02 maio 2017

RESENHA: GAROTA EM PEDAÇOS

Sinopse: Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e com as consequências do Transtorno do Controle do Impulso - um distúrbio que leva as pessoas a se automutilarem. "Viver não é fácil". Quando o plano de saúde de sua mãe suspende seu tratamento numa clínica psiquiátrica - para onde foi após se cortar até quase ficar sem vida -, Charlotte Davis troca a gelada Minneapolis pela ensolarada Tucson, no Arizona (EUA), na tentativa de superar seus medos e decepções. Apesar do esforço em acertar, nessa nova fase da vida ela acaba se envolvendo com uma série de tipos não muito inspiradores.Cansada de se alimentar do sofrimento, a jovem se imbui de uma enorme força de vontade e decide viver e não mais sobreviver. Para fugir do círculo vicioso da dor, Charlotte usa seu talento para o desenho e foca em algo produtivo, embarcando de cabeça no mundo das artes. Esse é o caminho que ela traça em busca da cura para as feridas deixadas por suas perdas e os cortes profundos e reais que imprimiu em seu corpo.


Autor: Kathleen Glasgow            Edição: 2017 
Editora: Planeta                          Páginas: 384
Gênero: Romance                       Nota: 5/5  Favoritado 
*Livro cedido em parceria com a editora

*AVISO*

Antes de começar a resenha quero alertar que se você não está em uma fase muito boa ou se sofre de Transtorno do Controle de Impulso, depressão ou é menor de 18 anos não recomendo a leitura, pois ele pode servir de gatilho.

Quando escolhi Garotas Em Pedaços realmente não fazia a menor ideia do que o livro se tratava, a verdade é que achei a capa bonita e li que era um romance, mas logo nas primeiras páginas percebi que a história iria ser bem diferente e pesada, só não imaginava o quanto.

Charlotte Davis é uma adolescente com uma vida extremamente sofrida. Ela perdeu o pai e o relacionamento com a mãe era péssimo até chegar o ponto dela preferir morar nas ruas, mas ela tinha uma amiga chamada Ellis que era sua tábua de salvação, mas Ellis também a deixou. Agora ela estaria por sua conta e risco em um mundo que só sabia machucá-la.
No inicio da história não sabemos o nome da personagem, o que temos são pequenos fragmentos do que ela mesmo vai nos contando aos poucos. A própria não tem certeza do que aconteceu.
Uma manhã ela acorda em uma clinica psiquiátrica com ataduras nos braços e pernas e aos poucos vai se recordando de como foi parar lá, dessa maneira vamos sabendo das coisas junto com ela.

A clinica só tem garotas e todas são como Charlotte, cheias de cicatrizes e queimaduras por todo o corpo. Cada uma tem uma história mais sofrida que a outra, e é dolorido ler os motivos do porque de estarem lá. Os pensamentos de Charlie muitas vezes são uma total desordem, ela tem muitos demônios querendo devorá-la.
Na clinica ela é conhecida como Sue Silenciosa apelido que ganhou de uma menina chamada Blue. Ela evita falar com qualquer pessoa, apenas quer se sentir segura das coisas que estão do outro lados dos portões.
Com o passar do tempo ela vai se abrindo com uma médica intitulada Gasparzinho, aos poucos ela vai se deixando conhecer, as coisas finalmente parecem estarem dando certo em sua vida, mas então descobre que sua mãe não tem mais como bancar o tratamento na clinica e ela precisará voltar para casa.

Sua mãe não sabe fazer as coisas funcionarem entre elas, então deixa a menina livre para morar em outro estado com a ajuda de Mickey um velho amigo.
E conforme fui lendo fiquei imaginando que tudo aquilo que ela havia enfrentado ficaria no passado e que finalmente a parte amorzinho do livro começaria, doce engano. 
Quando ela chega no deserto arruma um emprego de lavadora de pratos e infelizmente resolve se envolver com a única pessoa que fica claro que não é flor que se cheire.
Daí vemos tudo que ela tinha lutado para conseguir cair por terra. Charlie se afunda em um relacionamento abusivo com um cara chamado Riley West.

Para uma pessoa com a mente sadia tudo que Charlie narra, sua dor, seu desespero pode até parecer um pouco de exagero em algum momento, mas para quem já se sentiu um nada sabe exatamente a dor presente em casa pensamento da garota.
Eu diria que o livro não é um romance, é tão pesado que você até esquece de torcer para ter alguma cena amorzinho, tudo o que tinha vontade de fazer era pegar a Charlie no colo e ficar dizendo repetidas vezes que tudo iria passar.
Demorei mais do que gostaria para ler o livro, não porque ele é ruim, mas é porque o meu emocional ficava no chão a cada trecho que lia.

O que mais gostei é que a autora não quis romantizar o problema que no caso é Automutilação, ela foi ao fundo mostrando em detalhes como pessoas que sofrem dessa doença se sentem.
E apesar do livro acabar com um  fio de esperança e respiro você fica com aquela sensação de alerta.
Na nota da autora pude entender o porque de tanta riquezas em detalhes, ela também passou pelo mesmo que a personagem, ela também carrega suas cicatrizes na pele e na alma, o livro foi a forma que ela encontrou para dizer a outras pessoas que estão nessa situação que por mais que pareça que elas estão sozinhas isso não é verdade.

Agora falando da edição que está simplesmente impecável, a capa com as letras em carvão faz referencia aos desenhos da personagem e os riscos em vermelho são em relevo para dar a sensação de estar tocando em cicatrizes. A fonte está no tamanho certo e as folhas são levemente ásperas e amareladas o que me agrada muito. Só posso dizer que o conjunto todo merece muito mais que 10.
No final tem vários números e organizações para pessoas que estão passando por esse tipo de coisas.
Fico feliz por ver que mais livros reais e com temas que precisam ser debatidos estão ganhando forças no mundo inteiro.


O corte é uma cerca que você constrói no próprio corpo para manter as pessoas do lado de fora, mas depois você chora para ser tocada. Mas a cerca é de arame farpado. E agora?
Por fora eu estou em chamas e por dentro sou apenas um vazio.
Meu corpo é meu maior inimigo.
Ele quer, ele quer, ele quer, e quando não consegue, grita e grita, e eu o castigo.


Uma pequena nota:
Pensei algumas milhares de vezes antes de escrever esse pequeno desabafo. Então vamos lá.
A um tempo atrás compartilhei aqui no blog sobre uma fase muito ruim da minha vida. Por causa de algo que aconteceu fiquei com meu psicológico abalado e infelizmente achei na automutilação um refúgio para minhas dores. Tinha dias bons, mas a maioria foram ruins. Minha mente assim como a da personagem do livro era um verdeiro campo de guerra e eu era a única que sempre sangrava.
Durante muito tempo me puni por coisas que na minha mente merecia ter acontecido comigo, liberei pessoas que me machucaram e transferi toda culpa somente para mim.
O mundo se tornou muito grande, e eu só queria fazer tudo parar, e me machucar era minha forma de silenciar as coisas.
E se engana quem pensa que isso é coisa de adolescente ou de pessoas egoístas, por favor parem de pensar dessa forma. Eu já era adulta, com uma vida estabilizada, por isso por favor parem com esses pensamentos pré estabelecidos a respeito do problema dos outros, o que essas pessoas precisam é empatia, é do olhar de ajuda.
Só estou compartilhando isso para entenderem o quanto essa leitura foi difícil em diversos aspectos para mim que já superei esse problema assim como a autora.
E o quanto essas coisas podem acontecer com qualquer pessoa, até mesmo na sua família, amigos da escola ou da faculdade, a vitima pode ser até você.
Por isso procure ajuda, foi o que fiz, se precisar conta comigo. Acredite você não é o momento que está passando.

Alguém já leu, o que achou? Me conta.

55 comentários:

  1. Apesar de entender quando você fala que ele pode servir como um gatilho, lendo sua resenha não senti isso, porque, mesmo a personagem estando passando por um turbilhão de sentimentos e emoções, ela se vê com esse fiozinho de esperança, sabe? Acaba sendo mais como um aviso, uma descrição do que acontece com o emocional e com o psicológico de pessoas que tratam desse assunto. Infelizmente a automutilação é muito comum, mas pouco debatida. Mais do que merecido um livro sobre o assunto e, melhor ainda, com aspectos tão reais quanto possíveis. Eu adorei o enredo, adorei tua resenha e realmente é doloroso ver alguém passando por isso ou sentir na pele as mesmas emoções. Acho que preciso ler o livro em breve ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendi sua colocação Kelly,mas o problema do livro é que a protagonista não demonstra esperança, elas só chega realmente no último momento do livro.

      Excluir
  2. Oi, Cami!
    Mirmã, que agonia aquela primeira foto com os "cortes"
    Eu não dava muito pelo livro, mas sua resenha mais que perfeita super me convenceu a dar uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a oportunidade de ler esse livro Lu.

      Excluir
  3. Camila eu tô completamente impactada com o resumo desse livro, bem como estou curiosíssima para ler e entender seu ponto de vista. É sempre muito bom ver resenhas tão verdadeiras assim! Você me deixou muito curiosa. Sobre teu relato próprio, eu fiquei muito sentimental por saber que isso aconteceu contigo e fico muito feliz por ver que tu deste a volta por cima. Infelizmente as pessoas não entendem a dor alheia e julga como coisa de "adolescente" ou "falta de surra". Auto mutilação deve ser discutido sim! Obrigada pela coragem do seu relato. Sucesso pro teu trabalho!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Que resenha maravilhosa Cá.
    Sem coragem de ler esse livro! Preciso me preparar psicologicamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho melhor tu começar com o livro da Princesa ❤

      Excluir
  5. Sua resenha é muito bem detalhada, parabéns! Fiquei curiosa para ler este livro!
    bjs linda.
    http://cinthiaartdesenhos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada moça.
      Espero que goste da leitura.

      Excluir
  6. Uau,que resenha maravilhosa!! amei^^ fiquei louca de vontade de ler esse livro.
    bjs
    http://escreverdayse.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Quando vi no instastories que você tinha publicado essa resenha, eu vim correndo! Para mim também foi uma leitura muito difícil e arrastada. Eu fiquei bastante agonizada durante o livro inteiro apenas torcendo para que as coisas melhorassem de alguma forma. Gostei bastante de como você descreveu os acontecimentos e os seus pontos de vistas sobre a história. Na minha resenha para o Estante, eu cheguei a questionar se as editoras não poderiam combinar em colocar alguma espécie de selo quando se tratar de sick-lits tão pesados assim. Achei muito legal o seu alerta logo no comecinho da resenha <3

    beijos, Ca!
    Psicose da Nina | Instagram
    Colunista no Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina.
      Acredito que sua ideia era uma forma ótima de avisar sobre temas fortes.
      Pois é a história é uma agonia sem fim.
      Beijo

      Excluir
  8. Camila, adorei a sua resenha! Não sabia que esse livro tratava de um tema tão pesado assim, fiquei surpresa porque a capa não transmite isso com esse rosa bebê tranquilo. Imagino que eu iria demorar para ler, que nem você, acabaria ficando sem ar depois de ler as passagens... Não sei se leria, por conta do tema. Mas acredito que seja um livro ótimo e que te faz sair com outra cabeça :)

    Um beijo! ♥
    www.daniquedisse.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani.
      Confesso que essa capa da uma boa enganada na seriedade que ele traz.
      Eu recomendo a leitura.
      Beijo

      Excluir
  9. Oi
    não conhecia, mas depois dessa resenha já quero ler ele, parece ser uma leitura bem intensa, mas também interessante com um fundo de reflexão.
    Gostei das fotos do poste.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, De.
      Espero que você goste tanto quanto eu.
      Beijo

      Excluir
  10. Eu já tinha visto essa capa por aí mas não tinha me atentado pro tema do livro. Por um lado é válido a forma como esse tema está sendo trazido á tona, mas eu acho sim que pode servir de gatilho, entratanto histórias como essa servem pra que possamos entender e saber como lidar e como ajudar pessoas que passam por isso. ♡ xoxo, Blog B de Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, é um tema que precisa ser falado, mas não aconselho para quem não está em uma fase boa.
      Beijo

      Excluir
  11. Oi, Camila. Eu não sabia que o livro era tão pesado assim. Acho importantíssimo que a literatura aborde e traga mais temas do tipo porque infelizmente, os adolescentes de hoje e até mesmo pessoas adultas com suas vidas já estabilizadas, passam por isso e não acreditam que mereçam ou que precisem de ajuda. É importante que nós, leitores, possamos cada vez mais nos identificar e identificar isso nas pessoas que convivem com a gente porque qualquer um pode estar passando por isso, e assim, poderíamos ajudá-los. Não sei se leria o livro, o tema infelizmente me incomoda, mas espero poder dar uma chance a obra.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã.
      Realmente ele não é um livro fácil de ser ler, mas não me arrependo de ter dado a oportunidade de conhecer essa história que é ficção, mas ao mesmo tempo tão real.
      Beijo

      Excluir
  12. Julgando pela capa não parece um livro tão pesado assim, ele tem uma certa "leveza"... mas já encaixando o nome à sinopse dá para sentir o peso. Eu queria muito ler e já estava nos desejados do skoob, com a sua resenha eu tô pirando, porque agora preciso desse livro! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí, Gabi.
      Espero que consiga, é um livro pesado, mas maravilhoso.
      Beijo

      Excluir
  13. Oi Camila, sua linda, tudo bem?
    Quando você começou a resenha, já fiquei com o coração apertado. Esse é um assunto muito forte e difícil de encarar, porque por mais que sinta a dor dela, não consigo me colocar no lugar, ou seja, entender porque alguém se corta.Por isso o realismo desse livro é necessário, existem pessoas como ela, como a autora, que passam por isso e precisam de ajuda. Não sei se é forte demais para mim, mas quero ler, acho que ás vezes precisamos ouvir. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cila.
      É um choque de realidade quando nos deparamos com essa história, é um tapa na cara.
      Fiquei com aquela sensação de olhar mais ao redor, com mais cuidado.
      Beijo

      Excluir
  14. eu gosto dessas historias com tematica mais pesada, gostei bastante dessa indicação e vc tirou fotos MARAVILHOSAS para ilustrar bem a temática hein!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lívia.
      Um livro que revela uma realidade difícil, mas que precisa ganhar voz.
      Feliz que tenha gostado da resenha.
      Beijo

      Excluir
  15. Oi Cá! Tudo bem? Eu não li o livro ainda, não sei bem se estou num bom momento, ainda não digeri tudo da série Os 13 porquês, por isso adorei seu alerta no começo da resenha! Acho o tema automutilação pouco explorado, gostei de saber que a autora trabalha bem o tema. Adorei a resenha e espero ler o livro mais pra frente! E linda as fotos, claro!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi.
      Espero que você curta esse livro, apesar de ser forte acho que precisamos abrir os olhos sabe?
      Beijo

      Excluir
  16. Gosto de livros mais dramáticos assim, suas fotos ficaram tão lindas e descreveram tão bem o livro que quero muito conhecer a história! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  17. Nossa fiquei curiosa sobre o livro!mas acho que ainda n estou preparada pra emoções fortes! 😘 Ótimo resenha 😉

    ResponderExcluir
  18. Oi oi querida,
    amei as fotos e a sua resenha foi de arrancar o coração. Gostei dos quotes, isso me fez gostar mais da história criada pela autora. Fico muito feliz que você tenha gostado do livro. Fiquei muito curiosa para saber mais sobre a trama e poder acompanhar o desenvolvimento dessa história.

    P.S a sua resenha me deixou curiosa a conhecer mais sobre a história, vou ver se dou uma chance ao livro.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice.
      Que saudade de você por aqui.
      Espero que tenha a oportunidade de conhecer essa historia.
      Beijo

      Excluir
  19. Olá, Camila.
    Engraçado que estou lendo um livro com o mesmo tema, mas o foco é mais a depressão e a parte da mutilação é mais sutil, pelo menos por enquanto, mas não estou nem na metade do livro. E está bem dificil a leitura principalmente porque quero matar a mãe dela. Imagino como deve ter sido para você ler a história. Esses dias eu tentei ler um livro que abordava o Alzheimer e como passei pro isso recentemente com meu pai, não consegui.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil.
      Sério? E está gostando da leitura?
      Eu imagino como foi difícil para você, porque essa leitura foi bem pesada.
      Beijo

      Excluir
  20. Oie Camila =)

    Justamente por ser um livro que tem uma carga dramática bem forte, eu estou adiando a leitura dele. No meu caso quando estou com problemas desconto na comida, ou melhor dizendo não como nada. Tratei a anorexia nervosa a anos, mas sempre que acontece algo que me chateia a primeira coisa que faço é parar de comer. Essa é a forma de me punir =(

    Eu acho dificil e ao mesmo tempo reconfortante ler algo que aborda um tema pelo qual eu já passei ou estou passando. Me mostra que não estou sozinha no mundo.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane.
      Encontramos diferentes formas de nos machucar né? Mas que bom que você já conhece o seu problema e sabe como tratá-lo.
      Foi exatamente isso que senti ao ler esse livro, ao mesmo tempo que me sentia bem por ver um assunto tão forte sendo o tema de um livro me sentia devastada.
      Um beijo

      Excluir
  21. Oi, Camila.
    Puxa, esse tema é bem delicado e precisa mesmo ser explorado.
    Tem o seriado 13 Reasons Why, que também trata de bullying, suicídio. E Eu Estava Aqui, de Gayle Forman.
    Esse transtorno é muito sério e muita gente pensa que é bobagem, que é frescura, coisa de gente rico e que não tem o que fazer... Nada a ver. É coisa muito séria e precisa de tratamento e ajuda, simpatia, empatia das outras pessoas.
    Gostei muito da resenha.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diego.
      Também li e assisti 13 Reasons Why a pouco tempo e fiquei muito impactada, mas feliz por saber que o assunto está sendo mostrado.
      Fazendo os jovens pensarem no que estão fazendo com outros.
      Beijo

      Excluir
  22. eu não sabia do que se tratava o livro, E definitivamente quero ler muito agora. Achei a história pesada e comovente, gosto de histórias assim.
    beijos
    www.omundodatutty.com

    ResponderExcluir
  23. Oi Camila,
    Tenho que dizer que pela sinopse do livro e capa me deu vontade de ler, mas nunca tinha lido uma resenha e tenho que dizer que amei todo o post, desde as fotos e a resenha. E adora minha vontade de ler o livro só aumentou, amei o seu ponto de vista, o recadinho antes de começar o post, tudo mesmo. Parabéns.

    Bjs,
    Garota Perdida nos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha curtido minha resenha, espero que consiga ler o livro, depois me conta o que achou.
      Beijo

      Excluir
  24. Charlotte passou por muito sofrimento.
    Acho que a personagem teve um suspiro de de luz no fim do túnel o que achou ela a caminhar parta algo melhor e superação.
    Alto mutilação é um assunto que deve ser discutido! Tenho uma amiga que tem cicatrizes profundas nos braços e sei bem como foi difícil pra ela superar tantos problemas.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena.
      Posso imaginar o tanto que seja difícil para sua amiga olhar para seu corpo e ver a luta que travou, espero que ela esteja bem.
      Um beijo

      Excluir
  25. Tenho sempre receio de ler livros com temáticas tão fortes, nunca fico bem depois da leitura...
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tem problemas com esse tipo de leitura realmente não recomendo Mari.
      Beijão

      Excluir
  26. Caramba, que lindo! Eu realmente me emocionei com seu relato, no fim, e o modo como alerta as pessoas e oferece ajuda. Que bom que isso ficou para trás e você foi forte para superar e aceitou, principalmente, que precisava de ajuda.

    Quanto ao livro, acho que realmente é bem forte. Adorei a resenha que fez, as fotos estão lindas demais e deu muita curiosidade de conhecer melhor essa personagem.

    Sucesso, linda!
    Beijinhos!
    Luar de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rê.
      Obrigada viu, nessas horas o retorno de comentários como o seu me faz perceber que estou no caminho certo.
      Um beijo ♥

      Excluir
  27. Olá Cam, obrigada por esse "TW: GATILHO" Realmente para quem sofre de depressão não é fácil. Mas só pelo título do livro, fiquei com interesse de ler, quem sabe, ele me ajuda ou ajuda outras pessoas com depressão a seguir em frente. Adorei a sua resenha e estou curiosa. ❤😘

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Olá Cam, obrigada por esse "TW: GATILHO" Realmente para quem sofre de depressão não é fácil. Mas só pelo título do livro, fiquei com interesse de ler, quem sabe, ele me ajuda ou ajuda outras pessoas com depressão a seguir em frente. Adorei a sua resenha e estou curiosa. ❤😘

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir
  29. Oi Camila! Eu morro de vontade de ler esse livro e sempre que vejo ele na internet fico com o dedo coçando.
    Ótima resenha, só queria comentar sobre o que você falou sobre romance. Romance não é só uma história de amor entre um casal, mas também é o nome que se dá a um estilo narrativo. Acho que quem chamou a história de romance estava se referindo a ela nessa colocação! :D

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥