s Te conto Poesia: TEXTO | COMO DA PRIMEIRA VEZ

terça-feira, 4 de abril de 2017

TEXTO | COMO DA PRIMEIRA VEZ


Sabe eu juro que tentei esquecer você depois que brigamos a ponto de quebrar o lustre da sala e alguns copos... Eu tentei esquecer você. Depois que você jogou as suas roupas todas de qualquer jeito com um pouco das lágrimas salgadas que escorriam do seu rosto dentro da mala e foi embora sem um rumo, sem nada mais que 400 reais no bolso, alguns cartões estourados e sem ao menos desejar boa sorte, eu juro que fiz de tudo pra deletar você não só da minha lista de amigos do Facebook, mas da minha vida. Sabe , eu posso até ter chorado algumas vezes no chão ao lado do sofá, posso sim ter vestido aquela sua camiseta vermelha de um time de futebol americano só porque ainda tinha o seu perfume nela, posso ter ficado por horas borrando a minha maquiagem, e no dia seguinte, eu sempre tentava fingir que você nunca existiu, e quer saber? dava certo.
Sempre foi o meu sonho estudar medicina, e você sempre soube disso. Eu planejava todos os passos para chegar a minha meta, sempre sonhei em ter o meu nome naquele jaleco branco. Nunca planejei entrar na sala da facul e encontrar você. Alias, você nunca me contou que gostaria de ser médico ou algo do tipo. E pra falar a verdade, ver você de novo, me destruiu, e fez meu coração saltar tanto que quase fugiu pela boca ao mesmo tempo, digamos que foi péssimo, num bom sentido okay?
Não nos falamos se quer uma vez, e confesso que no fim da aula, quando aquela moça veio lhe entregar um folheto de supermercado, com aquele sorrisinho malicioso, talvez eu tenha sentido um pouco de ciúme, oque é estranho porque geralmente isso não deveria ocorrer porque, é como gostar de uma flor com espinhos, mesmo que ela seja muito bela, por mais que você se aproxima, mais se machuca.
Fui direto pra casa, suspirei mais forte que o vento que batia na janela, tomei um café bem forte, e me limitei em pensar em você. Coloquei umas músicas animadas pra tocar no volume máximo, dancei e cantei como se não houvesse o amanhã, nada destruiria meu dia, nem mesmo você.
Estava tudo indo muito bem, até o rádio resolver tocar aquela música que você cantou pra mim na calçada da cafeteria da rua de cima, depois de ter nos conhecido logo em 2 semanas. Eu fui extremamente forte, até me dar conta, de que não sou nada sem você.
Mais uma vez, me sentei no chão com a camiseta gigante vermelha, e pensei em como brigamos por coisas incrivelmente inúteis, de como fomos tolos, em ter deixado algo nos afetar assim tão fácil.
São 6:00 h da manhã, acordo ainda no chão da sala, me arrumei como nunca antes, usei aquele perfume que você dizia ser feito pra mim, cheguei na faculdade, tomei coragem e lhe disse oi, e por algum acaso, você me respondeu que nunca deveria ter fugido de algo que cresce sempre mais a cada vez que me vê. Como da primeira vez.

GIOVANNA BARBOZA
ME SIGA NAS REDES SOCIAIS

4 comentários:

  1. Oi, Gio!
    Amei seu texto. Nossa! Deu pra sentir toda a dor desse casal :(
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu ! Fico Muito Feliz Que Gostou !

      Beijos ♥

      Excluir
  2. Que texto mais lindo. Olhando assim, me lembro do quanto sonhava com um "fim" - ou posso chamar de recomeço - desse jeito. Essa música casou perfeitamente com as lindas e doces palavras acima.

    Beijos,
    Última postagemBlog Gaby DahmerFanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que feliz em ver que gostou Gaby !

      beijos ♥

      Excluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥