27 março 2017

SEM A SUA COMPANHIA


Hoje a noite está longa, os olhos já tão doloridos de tanto chorar e na cabeça uma única pergunta como vai ser amanhã?
Nunca pensei que sofreria tanto por ser dona de mim, por trabalhar, por lutar por aquilo que acredito. Nunca pensei que rever amigos, colocar uma roupa limpa e passada, arrumar os cabelos e passar maquiagem fosse me causar tanto aperto, lágrimas e uma sensação de perda inexplicável.
Você esteve dentro de mim por longos nove meses, e passamos seis meses e meios aqui fora sem nos desgrudar por mais de duas horas. No menor sinal de choro te dei colo, te dei peito, meu afago e a certeza de que sempre estaremos juntas.
Calei meus medos, abafei minhas dores, ignorei palpiteiros. Engoli o choro e lhe ofereci meu melhor sorriso.

E agora logo agora que teus braços me chamam, que seus ouvidos reconhecem o som da minha voz em qualquer lugar, a vida lá fora bateu à porta e disse que chegou a hora de voltar.
Tenho ouvido de pessoas que já estiveram no nosso lugar e daquelas que nem fazem ideia do que é esse sentimento que logo tudo vai passar, que a primeira semana é a mais difícil e que vou me acostumar. 

Mas eu pergunto é certo me acostumar a não ter o seu sorriso de bom dia, a não trocar sua fralda da noite com direitos a beijinhos em sua barriga. Não me parece correto não ter meus seios para te acalentar e ser seu principal sustento.
Como pode estar certo passar mais de oito horas do meu dia longe de você?
Como vai ser quando no meio do meu dia olhar para meus seios e eles assim como eu chorarem sua falta?
Preciso dizer que o puerpério é dolorido e solitário, mas a volta ao trabalho é tão igual ou pior.
Queria fazer minha dor ser entendida, mas é que ela é só nossa. Até eu passar pela porta e seus olhos e mãozinhas se entreterem com outra coisa, aí então a dor será só minha.
E a noite ainda é grande, enquanto você dorme eu peço colo, choro e me calo.

"Como poderei viver, como poderei viver
Sem a tua sem a tua, sem a tua companhia"

16 comentários:

  1. Oi Camila
    Que tristeza, amiga. Miguel já fez dois anos e nada de eu ter coragem de trabalhar. Quero esperar mais um ano, até ele estar na escolhinha, mas só de imaginar meu coração doí e os olhos se enchem. É tão complicado ser mãe.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila! Caramba, que texto mais cativante. Eu sei que voltar a rotina logo depois que se é mãe é bem complicado, é perder aquela sensação de ficar sempre grudado com seu bebê. Mas acredito que somente uma mãe poderia entender esse aperto no peito, e infelizmente não sei dizer nada que possa mudar ou ajudar. Só espero que você tenha a vida toda para compensar esses meses longe dela.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cami

    Pude sentir a dor nas suas palavras. Eu ainda não sou mãe, mas por mais que eu não saiba o que é a sua dor na minha pele eu posso imaginar a tortura que é ter que se afastar de um serzinho para o qual você se doou 24/7 nos últimos meses.
    Eu acho o período de licença maternidade curto demais, seis meses não são nada!
    Não posso fazer mais nada além de lhe desejar força!! <3


    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Cami. Eu te entendo perfeitamente. Eu não sei como é, estou com a Malu por dois anos e meio direto, sem desgrudar, e estou surtando. Não que eu não ame minha filha, mas tô cansada de dar peito, de trocar fralda e dos horários loucos que ela faz. Mas acho que se eu tivesse que sair pra trabalhar com ela pequena, eu iria ter ficado da mesma forma.

    Depois conte um relato de como foi sua primeira semana :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, Camila.
    Eu não sou mãe, mas acho que toda mãe deveria ter o direito de criar seus filhos até eles ficarem bem grandões hehe. Mas acho que esse sentimento não passa nem depois do filho casado, assim diz minha mãe. Mas é triste ter que deixar a criança e ir trabalhar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Olá Camila,

    Imagino como deve ser difícil esse retorno. Fico aqui na yorcida pra que esse período de adaptação seja o mais tranquilo possível.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Ahh,poxa,não acredito que passou tão rápido,eu sei que é dolorido,mas vai passar e quando você menos esperar já vai ser final de semana de novo para passar grudadinha com ela o tempo todo :)
    Beijos ^.^

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cami!
    Ai que dor esse texto viu? Senti aqui no fundo da alma sua angústia.
    Creio que, assim como as mães sentem essa falta, o bebê também sente. Afinal, durante nove meses foram basicamente um só corpo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  9. Olá! ♥
    Que coisa mais linda! Não sou mãe, mas consegui sentir o que sente por meio das suas palavras.

    Beijos
    Estante da Josy

    ResponderExcluir
  10. Nossa, que texto tocante, eu nunca tinha visto a maternidade por esses olhos e fiquei tocada. Seu texto é lindo, parabéns!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Seu texto está tão profundo e tocante. Não tenho filhos, mas ao ler, me senti no lugar da mãe. Muito bem escrito bjs

    Taynara Mello www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Camila!

    Eu ainda não sou mais, e não posso simplesmente dizer que entendo sua dor, por que somente as mães sabem o quanto e doloroso estar longe do filho, o quanto faz falta quando eles crescem, minha madrinha dizia muito isso, então único que posso lhe desejar e muita força e coragem pra conseguir fazer tudo que você precisa.

    Beijinhos

    Resenha Atual


    ResponderExcluir
  13. Oi, é muito triste mesmo essa separação, só quem é mãe que entende essa falta que sentimos dos nossos bebezinhos, o meu tem 5 anos, e mesmo assim quando sei que vou passar um tempo sem vê-lo fica aquela sensação de vazio. Muito bom seu texto...Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Camila!
    Não posso dizer que sei o que é passar por isso, porque a maternidade não é algo que eu tenha vivenciado. Só posso imaginar como deve ser a dor da separação, o mundo inteiro remexido porque a rotina precisa voltar a ser como era, já que o mundo não para de girar do seu modo caótico.
    Desejo muita força a você! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Menina, queria dizer que você quase me matou.
    Não sou pai, mas pude sentir a sua aflição em ficar longe do seu bebê. Sinto muito, mas espero que aproveitem bastante o tempo que ficarem juntos.

    Bjs
    www.isaaczedecc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi! Não deve ser fácil, não sou mãe ainda, mas me encanto pela maternidade. Quando sair de casa, pense que é para trazer o melhor para seu bebê. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥