10 dezembro 2016

ANA





E ela é assim, mimada da cabeça aos pés. Como se o universo existisse para servi-la. Chora ao quebrar uma unha, mas é incapaz de demonstrar qualquer reação quando digo que vou embora.
Seu nome deveria ser confusão. Vive quebrando a cara e o salto nessas baladinhas que jura que se diverte, mas no fim da festa não é só o seu batom vermelho que está borrado, o rímel aprova d´água não foi o suficiente para conter essa cachoeira que deságua pelo seus olhos em forma de socorro. Tu grita por ajuda mesmo quando diz que não precisa de ninguém. Se mente Ana, mas mente pra quem?

Cê entra na minha casa sem pedir licença, abre minha geladeira e pega a última heineken, se joga no sofá e reclama que a vida está uma merda. Eu pego um café e te dou, porque ao contrario de todos os babacas que você vem numerando na agenda do seu celular eu sei que sua bebida preferida é café amargo, assim como sei que odeia essas roupas curtas apesar de não sair de casa sem uma boa mini saia, faz questão que os outros a notem, mas olha só você sentada no meu sofá com minha blusa e coque mal feito e sem nenhuma maquiagem.

Teu problema é esse medo das pessoas descobrirem quem é você por dentro. Essa garota fraca, amedrontada que escreve textos enormes para um alguém que ainda não conheceu. Que ama ficar em casa bebendo café com os amigos ao invés de sair para farra. Viu Ana? Eu te conheço tanto que já poderia-deveria ter soltado sua mão a muito tempo, mas olha só para mim, continuo aqui te deixando invadir minha casa e minha vida, continuo te deixar molhar meus ombros e colo com suas lágrimas. Aceito ser bombardeado pela sua raiva do mundo, continuo a limpar seus olhos manchados de rímel e preparando café toda vez que resolve entrar.

O problema Ana que isso tem me cansado. E fico me perguntando até quando vai entrar e logo depois ir embora. Até quando vai usar meu peito de consolo, limpar o rosto e cair fora. Fico repetindo que da próxima vez tranco a porta e não te deixo entrar. Mas cê me conhece, sabe que te dou abrigo porque me importo e porque prefiro ser casa quando é pra você Ana.

15 comentários:

  1. Sou encantada pela forma como você escreve. Amei!

    https://menteviajantee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo.
    É triste pensar que muitas pessoas agem assim tentando se encontrar, mas sua descrição de tudo é linda. Parabéns pelo ótimo texto ^^

    Eating Peanuts

    ResponderExcluir
  3. Oi queridqa,
    você está ficando cada dia melhor nos textos. Estou amando ler cada um deles, e pretendo ler e comentar em todos.

    P.S amei este, achei o mais dramático e tocante de todos. Gosto de todos...

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  4. Seus textos são de uma leveza, de uma simplicidade, são tocantes. Adorei mais esse texto. Geralmente sempre tem alguém assim na nossa vida. Já fui Ana, já fui amiga de Ana. Um dia as coisas mudam. Um dia Ana aprende a ver o que todos viam, menos ela.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  5. Acho que sou um pouco como a Ana, tenho medo das pessoas descobrirem quem eu sou por dentro e talvez não gostarem do que vão encontrar. Lindo texto!

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Camila.
    Que texto lindo. Você como sempre arrasando nos textos. Infelizmente tem muitas Anas por ai que não enxergam quem está do lado delas.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Camila, tudo bem?
    Todo mundo tem uma "Ana" na vida, né?
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Que texto incrível. Me identifiquei, com meu eu do passado, em vários trechos.
    Principalmente a parte "tu grita por ajuda mesmo quando diz que não precisa de ninguém".

    ResponderExcluir
  9. Saiba que eu aplaudi quando terminei de ler. Belíssimo, gostei bastante.
    Squad Of Readers

    ResponderExcluir
  10. Oie Camila =)

    Olha que já tive uma Ana na minha vida e confesso que ela me deixou meio traumatizada com amizades rs...

    Tem gente que invade a nossa vida e sempre tentamos tomar ela de volta se faz de vitima. O jeito é deixar para lá e seguir em frente.

    Belo texto!

    Beijos e uma ótima semana para você;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  11. Já tive uma amiga parecida com a Ana, até que me cansei e acabei deixando pra lá. Adorei o texto!
    Beijos
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom? Menina seus textos estão cada vez melhores, são tão tocantes, eu adorei esse ^^

    Beijos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila, tudo bem?

    Eu sou uma Ana na vida, só falta o cara para me dar apoio e me preferir de roupas largas e sem maquiagem hahaha
    Adorei o texto, muito bem escrito. Muitas pessoas são exatamente assim, um personagem para o mundo, escondendo a sua própria verdade!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
  14. Oi Cá, vc como sempre arrasando! Adorei o texto, pude me identificar tanto com a Ana como a amiga da Ana!! Lindo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥