01 abril 2016

RESENHA | A CULPA É DAS ESTRELAS

Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288

Sinopse:


"Nos dias mais sombrios, o Senhor coloca as melhores pessoas na sua vida."

Hazel Grace tem câncer na tireoide que evoluiu para o pulmão, por isso precisa andar com um cilindro de oxigênio e uma cânula no nariz para conseguir respirar.
Seus médicos e seus pais fazem com que ela comece a participar de um grupo de apoio com mais pacientes, ela vai contra sua vontade. Até que um dia, Isaac (câncer nos olhos), outro participante do grupo, leva um amigo para acompanhá-lo. O amigo é Augustus Waters, ele possui osteossarcoma em remissão. Durante a reunião ele e Hazel trocam olhares. Após conversarem, nasce uma amizade, eles se aproximam cada dia mais e não demora muito para estarem apaixonados.
"Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra."
"O câncer também é um efeito colateral de se estar morrendo."
Enquanto Gus teme ser esquecido, Hazel acha o esquecimento inevitável e seu desejo é machucar o menor número possível de pessoas com a sua morte. Isso foi algo que ela leu no seu livro favorito, "Uma Aflição Imperial", de Peter Van Houten. O livro fala sobre Anna, que possuía um tipo raro de leucemia, ele não tem um final, acaba no meio de uma frase, como se Anna não tivesse tido tempo de acabar. O que deixou Hazel curiosa sobre o que aconteceu com os demais personagens. Tentou escrever para o autor mas nunca obteve resposta. Sabia que ele havia mudado para Amsterdã e que não havia mais publicado nenhum trabalho.
Gus descobre o contato da assessora do autor e marca um encontro com ele em Amsterdã. Eles e a mãe de Hazel viajam para o encontro.
A viagem os aproxima ainda mais e traz revelações que mudam o destino dos dois para sempre.
"Aparentemente, o mundo não é uma fábrica de realização de desejos."



De uma forma cômica, o autor traz a dura realidade dos pacientes com câncer. A forma como os personagens lidam com a situação nos ensina demais e sobre tudo. Quase morri de chorar e fiquei por semanas triste. Para mim, o final foi mais do que surpreendente, o Green tem o dom de me encantar até mesmo em histórias que me fizeram sofrer. Recomendo pelo impacto, pelo aprendizado, pelo choque de realidade. O livro me fez aprender a valorizar a vida que tenho de forma tão abundante, enquanto outras muito mais cedo foram privadas. Me fez aprender a valorizar o verdinho da minha grama e amar viver! Após a leitura, como na história, me apaixonei gradativamente e de repente pelo John Green e para sempre estamos em um relacionamento sério.rs



Demorei para falar desse livro, primeiro para me recuperar após a leitura, segundo porque virou moda falar dele por um tempo, né? Esse foi um livro que a Camila aqui do blog me encheu o saco pra ler (quando digo encher o saco, quero dizer DE V E R D A D E!rsrs) Duas amigas me deram de aniversário, quase um ano depois resolvi ler. Tive medo, mas não me arrependo. Hazel e Gus mudaram a minha vida, sem nenhum exagero!

Quem mais ainda está tentando viver após essa história?rs

24 comentários:

  1. Esse livro é incrível. E que dó me deu quando vi suas marcações. POR DEUS NÃO FAÇA ISSO auehiauheuae. Sério! Compre aqueles marcadores em forma de post it. Mas o livro realmente é muito bom, traz uma lição imensa para quem consegue captar a história, e o título, porque é um desafio aiuehaiuhe. E que bom que ela ficou em cima de você para ler. Tomara que tenha te marcado tanto quanto a mim ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly eu adoro marcar meus livros!haha Não sei se me adaptaria com os post it, mas vou pensar!hehe Sem dúvidas me marcou demais também! É incrível!

      Excluir
  2. Ai meu Deus, que aflição/dó me deu as marcações HUAUAHUA esse não é o meu favorito do John Green mas foi o primeiro que eu li, e guardo um carinho imenso por ele. Apesar desse lance da "modinha", acho que esse livro abriu muito espaço para o gênero YA no Brasil, ou seja: mais livros legais por aqui \o/
    E o final é daquele tipo: o que a gente MENOS esperava, o MENOS óbvio, aconteceu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha desculpa! Eu gosto de marcar! O menos óbvio mesmo! Dói de lembrar! Mas do tipo que não poderia morrer sem ler.

      Excluir
  3. Oi, Marina!
    Eu já li todos os livros do Green e esse é o melhor dele.
    Eu também demorei a me recuperar do final, que foi totalmente diferente do que imaginei.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu favorito foi o da Alasca! =) Mas esse marcou demais pra mim. Beijoca

      Excluir
  4. Eu chorei tanto nesse livro,mais ainda que no filme kkkk,tenho ele aqui e li em um dia,sem brincadeira,foi incrível,me apaixonei e me emocionei na mesma medida <3
    Um livro maravilhoso do Green e amei sua resenha :D
    Beijos ^.^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado Jennyfer!É impactante né? Beijoca

      Excluir
  5. Acredita que nunca li esse livro? Me sinto A maior esquisita vivendo na terra, hahah. Adorei a resenha. Um beijo ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio!haha Leia Vanessa, você precisa!rs Que bom que gostou. Um beijo

      Excluir
  6. oi, oi.

    li o livro ainda em 2014 e, ó, ele só me faz lembrar dos momentos fodas desse ano. a história simplesmente é incrível e, sinto muito, o Green não conseguiu ainda escrever outra melhor. sou apaixonado pela Hazel. acho ela simplesmente incrível! <3

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. História do tipo que segue com a gente né? Lindo demais.
      Beijoo

      Excluir
  7. Te indiquei para um prêmio ^^
    http://tri-vial.blogspot.com.br/2016/04/premio-dardos-bloggers.html

    ResponderExcluir
  8. Eu liiiiiiii! achei simplesmente incrível , os personagens são uns exemplos de vida fascinantes e únicos!

    http://www.virtualparadisee.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito desse livro! Mas o que eu mais gostei mesmo foram dessas guloseimas enfeitando as fotos do post! hahaha ♥
    Café, Vodka e Literatura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehe colunista gordinha, né Júlia?rs Que bom que gostou! Beijo beijo

      Excluir
  10. Amei suas fotos,ejhehehe.E cara,esse livro me destruiu quando eu li.Estava passando por um momento parecido com meu pai, e no final, chorei muito.É uma lição valiosa :)

    ehehehe

    beiejão :)
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Carol! Eu acho que nunca vou me recuperar desse livro!rs Beijos

      Excluir
  11. Acho mais que justo ter esperado um tempinho pra ler e mais um tempinho pra resenha (entendo você ter que se recuperar... ainda lembro do quanto chorei lendo).
    De qualquer forma, fiquei feliz que gostou. O John é realmente um escritor incrível.

    Beijos,
    Bi.

    - www.naogostodeunicornios.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blue Hope!rs Primeiramente, achei um doce o seu comentário e precisei ver seu blog... me apaixonei por e pelo blog!rs Obrigada pela visita! Um beijo com carinho

      Excluir
  12. Eu entendo, entendo mesmo porque (quase) todo mundo que conheço gosta deste livro e de outros do gênero, mas eu não consigo gostar... já tentei, juro, mas acho que nasci pra ser do grupo do contra... kkkkk
    Sua resenha foi ótima, deu pra entender coisas que eu não tinha sacado nas outras resenhas na época da moda...
    Desculpe o comentário do contra... rsrs.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina! Toda opinião é bem vinda!hehe Obrigada pela visita! Beijos

      Excluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥