06 novembro 2015

B.C | O QUE APRENDI COM AS PERDAS


Se eu pudesse numerar todas as perdas que já sofri nessa minha pouca vida diria que daria pra dar a volta ao mundo. Parece um pouco de exagero, mas acredite não é. Enquanto escrevo algo dentro de mim e em mim começa a se perder para nunca mais voltar, ou então para se modificar. Somos treinados para aprender desde criança a lidar com possíveis perdas. Existem aquelas que todos nós passamos anos nos preparando e ainda assim nunca chegaremos de fato a estar prontos para dizer adeus a quem amamos. Não existe um manual que te diga como reagir a qualquer tipo de perda seja dos seus sonhos, de alguém, do amigo que se mudou, do amor que foi embora. Acredito que não exista perda indolor, é claro que umas doem mais que as outras, mas todas no final das contas acaba machucando ainda que seja de leve o coração.
No entanto de tudo nessa vida podemos tirar lições valiosas, principalmente daquelas que exigem muito de nós.

Minha mãe biológica se recusou a ser mãe, decidiu que na vida dela não cabia um bebê frágil e indefeso. Hoje eu poderia ser uma pessoa frustada e com dificuldades de amar outras pessoas, no entanto aprendi com a "perda" de um laço de sangue que existem laços muito além de DNA ou genética. A vida me deu uma mãe que me gerou em seu coração. Essa foi a primeira lição que tive a respeito de perdas.
Quando entrei no ensino médio olhei para trás e percebi que havia perdido metade se não todos os amigos da minha infância, aqueles que brincavam comigo na rua de pega-pega, corda, pião. Aqueles que estiveram comigo quando dei meu primeiro selinho no paquera com aquela brincadeira de verdade ou desafio. Nesse momento eu poderia me sentir sozinha e abandonada, mas ao invés disso fui grata porque durante anos fui privilegiada com a amizade de cada um deles. Essa foi a segunda perda que a vida me ofereceu.

Aos meus 15 anos meu coração batia fora do ritmo, as mãos suavam, as pernas tremiam, e borboletas dançavam em ritmo frenético dentro da minha barriga tudo isso porque eu tinha alguém pra chamar de meu primeiro amor. E na minha cabeça esse seria o último, mas acho que o boy não havia sido informado sobre isso e depois de dois anos o príncipe encantado ficou de saco cheio e quis virar sapo. E aí eu o perdi da forma mais dolorosa. Eu tinha todo o direito de me sentir um lixo e nunca mais querer sair da minha cama, e foi isso o que aconteceu durante um bom tempo, mas então um dia olhei pra fora da minha nuvem e vi que a tempestade já havia passado e não fazia sentido eu continuar a me molhar, então levantei e simplesmente deixei outra pessoa não ser o príncipe, mas o moço cheio de falhas e erros, mas que tinha nas mãos o coração mais puro e verdadeiro. Essa foi apenas mais uma das grandes perdas.

Aos 18 anos com a vida começando pra valer em uma tarde que parecia ser normal, enquanto eu arrumava a casa meu pai se despedia de olhos abertos desse mundo, como se quisesse levar um pouquinho da beleza daqui para onde ele iria. Quando minha mãe chegou em casa e ofereceu um copo de Coca-Cola a ele e percebeu que o silêncio não acabava correu para vê-lo, ela me gritou desesperada e então desmoronei, apesar de aberto seus olhos já não brilhavam, suas mãos eram frias. E no dia 01 de novembro, o dia que era pra ser comemorado mais um ano de sua vida quando baixavam o seu caixão em uma terra molhada e fria, percebi que aquela sim era a primeira grande e verdadeira perda. E a respeito dela e só dela posso dizer que toda vez me sinto um pouco mais vazia, é como se ao longo desses anos o buraco só aumentasse. Mas até assim consegui aprender algo. Aprendi que o amanhã é a certeza que não temos, que amor tem que ser demonstrado e não apenas sentido, que abraçar quando se tem vontade pode fazer que durma melhor quando a saudade te incomodar. Que ninguém é eterno, nem mesmo nossos heróis, por isso aprendi a valorizar ainda mais aqueles que amo.

Tenho aqui dentro do peito um aglomerado de perdas, e todas elas são preciosas. Todas são importantes para que eu continue caminhar lembrando sempre de agradecer por tudo que foi bom, por tudo que ainda é, e por tudo aquilo que ainda posso tornar.
E você aprendeu o quê com suas perdas?

Este post faz parte da Blogagem Coletiva do Blogs Que Interagem


26 comentários:

  1. E Camila sempre me emocionando com seus textos, é como você disse ninguém esta pronto ou preparado pra perdas. Eu confesso que acredito que ainda tenho muito que aprender com as minhas, ainda sinto muita dor e ainda me é difícil ver o lado positivo de todas as perdas que carrego, sejam elas pra vida ou pra morte. Espero um dia aprender, por que leve eu sei que nunca vai ser. Obrigado por compartilhar um pedacinho da sua historia. Bom final de semana, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Thato acho que fácil realmente nunca será. Ninguém gosta de perder nada, muito menos pessoas. Mas acredito que se eu não conseguisse ver o lado positivo de nada, sentiria-me vazia por dentro entende? É como se a vida simplesmente comandasse tudo e eu só ficasse observando as coisas acontecerem.
      Beijo ♥

      Excluir
  2. Seu texto ficou ótimo moça, já disse isso? ♥ Acho que a perda é uma das dores que mais forçam. Nós acabamos levando um tempão para aprender a conviver sem aquela pessoa, sem tê-la por perto durante os dias. É difícil ao extremo. Espero um dia aprender a lidar com isso também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que encontrou a palavra certa Kelly as perdas nos forçam. É basicamente uma luta pela sobrevivência da sua própria existência contra todo o resto que se perdeu, temos que lutar para não nos perdermos juntos.

      Excluir
  3. Eu não escolhi esse tema por muito medo de me emocionar, mas tenho me emocionado do mesmo jeito com os textos dos outros hahaha. É muito importante isso de reconhecer que as perdas nos fazem pessoas melhores. Bom texto! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também várias vezes antes de escolher esse tema, na verdade ele me escolheu, e escrever de certa forma sempre me ajuda.
      Beijo e obrigada.

      Excluir
  4. Nunca é fácil lidar com perdas, mas gosto de pensar que tudo tem um motivo pra acontecer. Só assim pra não desmoronar e seguir em frente. Beijo, Camila!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse é um outro jeito maduro de encarar as coisas né.
      Um beijo Tati. ♥

      Excluir
  5. Caramba! Que texto incrível! Sério mesmo, você escreve de uma forma tão única que é impossível parar de ler no meio, sempre tem aquele gostinho de quero mais. Parabéns!

    Já estou te seguindo, Camila. Você realmente merece!
    ~ http://www.umdiarioquasenormal.com =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há Kennedy, muito obrigada pelas palavras de carinho. Fico muito feliz por saber que gostou do texto, e ainda mais por saber que agora você também faz parte desse cantinho. Seja muito bem vindo! ♥

      Excluir
  6. Nossa, me emocionei muito! Mais uma vez escrevendo um texto lindo e cheio de sentimento aqui. Parabéns por ser quem tu é, Camila. <3 As perdas, por mais dolorosas que tenham sido, contribuíram pra que tu te tornasse a moça incrível que é hoje. Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha Jonara sua linda, obrigada por todo carinho de sempre. Gosto de pensar dessa forma também, tudo que nos atingi nos muda, nos molda.
      Um beijo sua linda. ♥

      Excluir
  7. Adorei, moça! Parabéns pela sua forma de enxergar as coisas! Estou tentando aprender a ser um pouco mais positiva e seu texto veio em ótima hora :) obrigada por compartilhar ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alice fico muito feliz que de alguma forma meu texto também te ajude a enxergar as coisas de outra maneira. :)

      Excluir
  8. Oii Camila!! Queria do fundo do coração te parabenizar pelo texto. Até hoje, nunca consegui colocar em palavras as minhas perdas. Elas ainda mexem muito comigo. Mas do jeito que voce escreveu, ficou sutil e não dramático. Motivador e não arrogante. Mas acima de tudo ficou sincero e fiel ao que a vida é. Voce é uma pessoa incrivelmente positiva e "desapegada". Manda um pouquinho disso pra mim. HAHAHAHA Sério, parabéns pelo texto. Beeeeijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beca sua linda, queria dizer muito obrigada, porque apesar de parecer não é fácil falar sobre isso, ás vezes as pessoas tem a tendencia de achar que sempre me sinto assim, "tipo, há tudo certo", mas não, isso é um verdadeiro processo, todos os dias acordo e luto comigo mesma.
      E olha passo sim, vem cá e me da um abraço. ♥

      Excluir
  9. Camila, assim como você eu também já tenho algumas perdas, ano passado passei por uma muito forte e ainda não estou bem. Tudo mudou e pra mim é muito difícil lidar com mudanças, mesmo sabendo que elas acontecem o tempo todo na nossa vida. Ainda não sabemos qual o sentido de certas coisas quem acontecem, mas acreditar que um dia tudo vai ficar bem é o que podemos fazer.
    Amei seu texto. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que aprender a continuar caminha né, acho que é isso que nos ajuda a continuar, a não entregar os pontos de vez. Espero que ao longo do caminho você se sinta melhor.
      Beijo

      Excluir
  10. Depois desse texto me deu uma vontade de ir correndo ai, te abraçar e dizer "tá tudo bem"
    É incrível como podemos sentir sentimentos por algumas palavras, e você tem feito isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há vem e me abraça rs.
      Fico feliz em ler isso.
      Beijo Lu

      Excluir
  11. Se eu chorei,sim,claro ou com certeza??? Lindoo o texto Cami,é incrível como as pessoas mais incríveis são as que mais sofreram,e talvez sejam assim mesmo porque pensam em fazer diferente e provocar sorrisos ao invés de choros.Parabéns <3
    "Não existe um manual que te diga como reagir a qualquer tipo de perda seja dos seus sonhos, de alguém, do amigo que se mudou, do amor que foi embora. Acredito que não exista perda indolor, é claro que umas doem mais que as outras, mas todas no final das contas acaba machucando ainda que seja de leve o coração.
    No entanto de tudo nessa vida podemos tirar lições valiosas, principalmente daquelas que exigem muito de nós." Perfeito :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a partir do momento em que nascemos já estamos todos sujeitos a certas perdas né.
      Mas olhar o tanto que temos ganhado faz as coisas parecerem melhores.
      Um beijo sua linda

      Excluir
  12. Camila, que texto apaixonante é esse que você escreveu? Coisa linda de se ler!
    Eu não gosto de assuntos relacionados ao amor e tal, mas mesmo não tendo um coração romântico li todas as palavras. Poxa, adorei!
    Um beijo pra você e te encontro mais vezes aqui no "Te conto poesia"

    Blog “A escrita e eu”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha fico feliz por ter gostado, ainda mais por saber que não é aquilo que esta acostumada, obrigada.
      Beijos

      Excluir
  13. Olá Camila,
    Muito emocionada com seu texto. Fico feliz por você estar continuamente superando as perdas, que são inevitáveis...passei por algumas delas, principalmente na infância e não fui capaz de superá-las. Adoeci. Cronicamente adoeci. Vou levando a vida com anti-depressivo e rivotril, mas aprendi a superar o que não é possível ser superado. Mas, acredite, sou feliz. E o que reforça a minha felicidade é saber que não estamos sós.
    Um beijo e olha...seu blog é lindo. Ainda não conhecia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra a perdas que jamais superamos, e sinto muito por você ter tantas aí no peito. E que bom que consegue ser feliz em meio ao caos.
      E sim sozinhos nunca, apenas espalhados.
      Um beijo cheiinho de amor para você.

      Excluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥