quinta-feira, 22 de outubro de 2015

EU TE SEGURO!

te conto poesia

E a vida continua caminhando me mostrando que nossas escolhas por maiores que tenham sido são insignificantes para o universo. Quando penso naquele maldito filme Efeito Borboleta tenho a sensação de que voltei muitas vezes no tempo pra que tudo desse tão errado. Devo ter tentado arrumar as coisas tantas e tantas vezes que agora não consigo me ajustar na realidade atual. O pior é que quando penso em nós só consigo pensar que algo deu muito errado em nossas vidas.

Tenho levado uma vida tranquila com as escolhas que fiz. Não posso ser ingrato ao ponto de dizer que a vida tem sido difícil comigo. Na verdade acho que ela tem sido bem generosa, nesses últimos anos conquistei o emprego dos sonhos, muito pelo anos que me esqueci que existia vida lá fora além dos livros de sistemas, viajei também, finalmente descobri o porque a Irlanda sempre me encantou, colecionei alguns amores e muitos desafetos, sinto que quando crescemos somos mais propensos a desapegar, a não sentir culpa nem remorso por quebrar alguns corações. Uma vida calma, até você me mandar uma mensagem desenterrando todos os meus medos que durante todos esses anos escondi dentro da minha gaveta de meias.

Você é a maldita volta no tempo em que insisto em tentar, mesmo sabendo que vai dar errado, mesmo sabendo que no final dessa brincadeira de saudade quem sai catando os cacos sou eu, mesmo tendo a certeza que quando esse desespero todo acabar quem fica no escuro sou eu.
Você é aquela que se joga no precipício só pra ter certeza que vou correr para te salvar, mesmo sabendo que sua não queda me acarretará inúmeros machucados, que provavelmente meus joelhos ficaram esfolados mesmo assim você se joga e cai sem paraquedas ou aviso de que junto com sua não-queda vem toda a confusão que guarda dentro do seu peito só por estimação.

Preciso dizer que detesto saber que sempre vou pular pra te salvar, que sempre terei alguma parte doendo do corpo, e que em todas ás vezes é meu coração que sente vontade de se jogar do penhasco, imagino que ele já esteja cansado dessa brincadeira de rouba bandeira, por mais que eu proteja e criei inúmeras barreiras para de te impedir de me machucar você sempre consegue. No fundo eu mesmo me machuco, posso criar uma muralha em um lugar deserto, com portões de ferro, mas lá dentro escondido no quarto mais seguro estaria eu com esse coração que tenta mais não consegue te esconder, nem tão pouco te deixar pra trás. A gente é aquela definição de relação destrutiva,  e ao mesmo tempo quando ouço sua voz do outro lado da linha em uma tarde qualquer me faz querer correr mais rápido só para garantir que vou te salvar, mas meu bem quem me salva de você?

Eu te seguro! Mesmo querendo te deixar esfolar os joelhos e coração assim como eu, mas é que já te vi cair moça, e sei que doeu, que sangrou, que te arrebentou, que se estilhaçou em milhares de fragmentos e que até hoje machuca quando lembra. Deve ser por isso essa sua necessidade de se jogar no penhasco só para ter a certeza que agora terá alguém pra te salvar, mas olha só, sempre teve moça, o problema é que se jogou no penhasco errado.
Eu te seguro hoje, amanhã e até quando meu coração e joelhos aguentarem te salvar, mas promete uma coisa dessa vez? Promete que é a última. Que dessa vez meus braços vão conseguir te proteger dessa loucura toda aí fora, promete vai? Eu te seguro!

Em reposta ao pedido dela | Me Segura?

14 comentários :

  1. Nha, que amor ♥ Nem tenho mais o que te dizer sobre seus textos maravilhosos.

    ResponderExcluir
  2. Que narrativa forte! Demais. "Você é a maldita volta no tempo em que insisto em tentar". ♥ Achei tudo muito intenso. Ele, voltando pra segurá-la. Isso é muito intenso. Afinal... Quem se joga junto num precipício? Forte demais, Cami.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou tentando saber se isso é bom o ruim Rê rs.
      Ás vezes o que machuca não é o precipício, mas saber que ela irá se jogar novamente só pra ter certeza que será salva.
      beijo ♥

      Excluir
  3. Oii Camila! Parabens pelo texto. Eu vi nesse texto muito eu e meu marido. (tipo ele escrevendo isso pra mim) HAHAHAHAHA. Porque acho que no fim das contas o compromisso acaba sendo esse mesmo: estar la. Teus textos sempre dao um calorzinho no meu coracao! Adoro te ler. Beeeeijo

    http://www.verdadeescrita.com/mae-eu-sou-bi/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Beca? Que legal. Fico feliz que tenha se identificado.
      E concordo contigo, no fim das contas amar é segurar o outro e se duvidar é jogar ao mesmo tempo.
      Obrigada viu.
      Beijo♥

      Excluir
  4. Eu lembro do primeiro texto *-* Lembro de ter amado e agora esse para nos destruir. To apaixonada ♥
    Essa metáfora incrível... maravilhosa resposta!! Mil beijos

    Com carinho, Beca; Café de Beira de Estrada

    ResponderExcluir
  5. Gente como você é linda! Adoro seus textos...São muito a minha vida nesse momento!
    "Devo ter tentado arrumar as coisas tantas e tantas vezes que agora não consigo me ajustar na realidade atual"...mas para mim já deu o tempo, já criei a consciência de que fiz minha parte! mimimi chororô
    Beijos..
    http://adivinhahoney.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário lindo gente.
      Chega encheu o peito. ♥
      Espero que as coisas se arrumem logo pra você.
      Beijo

      Excluir
  6. Que perfeito! Amei o texto palavras que fazem você refletir o quanto tempo passamos gastando tentando conserta aquilo que não tem conserto, e ficamos catando resto dos cacos do coração pelo chão.
    Amei <3

    Beijos *_*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do post Fe.
      Beijos moça.

      Excluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥