s Te conto Poesia: PASSOU

domingo, 16 de agosto de 2015

PASSOU



Esses dias correndo por estar atrasada acabei esbarrando em um homem no metro, de repente senti um cheiro familiar, mas na hora da pressa pedi desculpas e continuei o meu caminho. 
Entrei no vagão e sentei, fiquei pensando naquele cheiro era tão conhecido e ao mesmo tempo tão distante dos cheiros que me rodeavam.

No caminho lembrei de alguns lugares onde meu nariz e corpo já haviam estado com esse cheiro amadeirado. Lembrei o dia que fomos à estação da luz porque apesar de morar minha vida inteira na terra da garoa nunca havia conhecido mais do que três quadras da minha casa. E foi um dia maravilhoso, ver as luzes aquela agitação, gente bebendo, correndo, se esbarrando odores se misturando.
Também teve aquele dia de frio intenso em que nossos corpos ficaram tão unidos de baixo da coberta que os cheiros se tornaram um. Teve o dia do cinema, o do café, o da ressaca, foram tantos momentos bons com essa fragrância levemente amadeira que me perguntei como é que pude esquecer um cheiro tão importante assim.
Me dei conta que passou, e passou da maneira mas leve e natural. É claro que doeu, sempre dói. Mas não teve aquele peso que os outros tiveram. E sabe como sei que passou? É que esses dias senti teu cheiro e não só consegui lembrar que era teu, só depois de muito vasculhar as lembranças é que me dei conta que era você.
Então é isso, só queria te dizer que não levou o tempo que esperávamos para o meu estou bem aparecer. E você como está?

10 comentários:

  1. Sabe que a minha memória funciona mais pelo cheiro do que pelas imagens? Eu me lembro do cheiro das pessoas, das casas, do natal, às vezes até de alguns dias muito especiais... hahaha. Seu post me lembrou um rapaz que eu namorei. Demorei ANOS pra "esquecer" o cheiro dele. Mas mesmo agora, se o cheiro do perfume dele está forte em algum lugar que eu tenho que ficar por mais que alguns minutos, acabo me lembrando dele. Essas coisas são tão estranhas! :)

    Um beijo,

    http://acartavioleta.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já passei por isso também Cami com um ex namorado, achei o que cheiro dele ficaria impregnado em mim pro resto da vida, mas como diz o texto passou.
      Beijos

      Excluir
  2. Eu sou muito ruim para lembrar de cheio, acho que porque não tenho muito contato com pessoas, já que o do meu namorado eu reconheço fácil.
    Gostei do texto, eu curto bastante ler e até costumo escrever alguns, mas não tenho muita coragem de postar por serem muito pessoal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveria perder esse medo bobo Bruna, você vai ver escrever é libertador.
      Beijão

      Excluir
  3. Dejavú aromático! Quem nunca?
    Lindo texto, amiga!
    Transpira sensibilidade!

    ResponderExcluir
  4. Essas memórias olfativas pegam a gente de jeito...
    Dellycatas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é ás vezes consigo lembrar do cheiro, mas não de alguém especifico rs.

      Excluir
  5. Sempre bom nos deparar com aquela pessoa que nos deixou cicatrizes e perceber que "passou". É libertador, eu diria. Lindo texto, Cami.
    Beijos

    Café de Beira de Estrada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Rebeca, faz muito pra alma saber que a gente não carrega o outro no coração.

      Excluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥