segunda-feira, 30 de março de 2015

100 DIAS SEM ELA: 4º DIA


Não é de costume acordar cedo aos finais de semana, mas naquela noite coloquei o despertador para tocar ás 08:00 h da matina porque queria resolver o problema da parede o quanto antes.
Ás 09:00 h já estava em uma dessas lojas de construção e reforma para casa. Encontrei a cessão de tintas e fiquei tentando escolher uma nova cor para preencher meus olhos, a pergunta de quem seria pago para dar nomes tão peculiares as tintas me veio a cabeça. Pensei que se ela estivesse lá comigo escolheria cor cheiro de jasmim. Eu estava escolhendo uma cor que tirasse o verde dela da minha parede e substituindo por outra que ela certamente amaria.
Fiquei pensando enquanto olhava tantas cores como conseguiria arranca-la do peito se não era capaz de nem tira-la da parede. Sai da loja sem nenhuma tinta, nem mesmo aquela que tinha o nome de esperança.
Ás 10:00 h passei pela cafeteria do centro coisa que a muito tempo não fazia, desde que ela ganhou uma ulcera por viver uma vida tão afoita. Nunca mais havia me permitido esse pequeno prazer, nem mesmo quando estava sozinho, pensava que de certa forma isso poderia ser uma traição, percebi que por ela me privei de inúmeras coisas e prazeres para estar ao seu lado, e ela: Ela se privou da minha presença por não me merecer assim disse ela. Apreciei meu café, quente, forte.
Passei na livraria e procurei algo que não me fizesse lembrara-la, me senti como o Tom Cruise em Missão Impossível, tudo ali me lembrava ela e o seu jeito intelectual ao mesmo tempo espontâneo de ser.Sempre gostei de ler, ela também, Algo incomum entre nós que ela não foi capaz de se lembrar já que listou todas as coisas que não possuíamos em comum.
-Droga, como posso ocupar minha vida com outras coisas se ela está tão lotada e socada dela em todos os cantos e por todas as partes?
A tarde encontrei com alguns amigos que felizmente não era "nossos" amigos, algo ainda era só meu. Tomamos outros café, falamos sobre trabalho, casamento, filhos, baladas, e outros assuntos tão irrelevantes quanto os demais que já nem lembro mais. Nos despedimos com a velha frase "Vamos marcar algo".
A noite fui ao mercado porque lembrei que não tinha açúcar em casa, isso era algo que já tinha desacostumado a fazer. Passei na padaria e quando ia pedir pão olhei para a atendente e logo me veio que seria constrangedor pedir apenas um pão desisti. Voltei para casa com o açúcar e pacote de pão pullman que estragaria antes de conseguir chegar na metade.
Tomei um banho longo e quente e pela primeira vez nesses quatro dias não pensei nela foram os quinze minutos mais silenciosos que tive durante esses dias. Coloquei um shorts e fui para sala, sentei no sofá e ali estava eu de volta a parede verde, de volta a ela ou que restara dela.
De repente por um instinto um tanto infantil admito peguei uma caneta e comecei a escrever na parede: odeio a constelação de pintas em suas costas, odeio quando me faz espera, odeio quando não liga, odeio como se veste para me provocar, odeio seus tocs, odeio a maioria de seus amigos, odeio sua panqueca de amora. Listei pelo menos 30 coisas que odiava nela e que ela fazia. Foi como socar alguém, fez um bem danado. Quando terminei fiquei ali parado olhando a parede antes tão verde tão dela, agora cheio de rabiscos e seus tão longos defeitos, pensei o quanto isso a deixaria puta de raiva, que se dane. Ela fez exatamente isso com meu coração, pinchou suas manias e loucuras, me rabiscou com sua intensidade por inteiro e depois como um papel de rascunho me jogou fora.
Naquela noite deitei a cabeça no travesseiro e dormi, acredita?

Esse foi o 4º dia sem ela.




Image and video hosting by TinyPic

2 comentários :

  1. "Listei pelo menos 30 coisas que odiava nela e que ela fazia. Foi como socar alguém, fez um bem danado.(...) Ela fez exatamente isso com meu coração, pinchou suas manias e loucuras, me rabiscou com sua intensidade por inteiro e depois como um papel de rascunho me jogou fora."
    Intenso,triste,profundo,é uma crônica incrível :D
    Beijos ^.^

    ResponderExcluir
  2. A verdade é que amar tem dessas coisas não é mesmo?!
    Obrigada Jennyfer saber que esta gostando me deixa imensamente feliz.
    Beijos linda.

    ResponderExcluir

Germine aqui um pouco de amor. ♥