sábado, 9 de setembro de 2017

CUIDA DELA


Cuida dela, já que cê não soube cuidar de mim, cuida dela com carinho, faz ela feliz, porque ela parece gostar de você, valoriza ela, por favor, já que você não soube me valorizar...
Manda textão a uma da madrugada, dê flores pra ela, cara, é sério, não perde ela não, eu sei que você odeia se apegar e acha difícil, mas se dá uma chance, por ela, dá a chance que você nem pensou em me dar.

Cuida dela, repara quando ela cortar o cabelo e a franja, elogia a roupa bonita que ela passou horas escolhendo para te impressionar, deixa de lado aquele futebol só um dia para acompanhar ela na festa da família, surpreenda ela, não deixa ela escapar como você fez comigo...
Por que eu sei o quanto dói a sensação de perder quem você ama, eu sei quanto dói ficar cara a cara com a verdade de que você não é e nunca foi prioridade, mas mostra pra ela que você tá diferente, seja diferente com ela...

Cuida dela, não chama ela de Amor, prova que ela é o seu Amor,a sua Vida, tudo o que você precisa para ser feliz, deixa ela e o mundo todo saber que seu peito tá transbordando por causa de uma garota que posta fotos com o seu boné e os seus filtros do celular, aproveita cada segundo para mostrar o quanto ela te faz bem, jura pra ela e cumpra, não como as promessas que você me fez, cumpra de verdade.

Não to falando isso para o seu bem, mas para o bem dela, porque ninguém merece passar pelo que eu passei, então vai, ama ela de verdade e cuida dela, como cê não soube cuidar de mim...

terça-feira, 5 de setembro de 2017

SMASH THE CAKE | VALENTINA FAZ 1

Oi, pessoas.

Nem consigo acreditar que já estamos em setembro, muito menos que falta exatamente uma semana para a Valentina completar seu primeiro ano de vida. Lembro como se fosse ontem do post que fiz contando a vocês que nossa família iria aumentar. Aliás lembro de todos os posts sobre o diário da gravidez.
Foi um ano maravilhoso, cheio de descobertas, conquistas, risadas, choros, crescimento e muito mais muito amor.

Não vamos fazer uma mega festa, mas acredito que o primeiro ano tem que ser muito comemorado, afinal é o ano do ajuste, mesmo sendo mãe por duas vezes me senti perdida em diversos momentos, afinal cada bebê é um individuo ou seja quando se trata de maternidade não a receita ou manual. Aos poucos mãe e bebê vão se conhecendo.
Resolvi nos presentear com um ensaio da Valentina, e o tema que escolhi foi Chuva de Bençãos, não consigo imaginar algum que se encaixasse tão perfeitamente como esse.
Amo ser mãe de menino e só descobri esse amor na prática, aprendi muitas coisas com os reizinhos, e ser a mulher mais especial e linda do mundo para eles é algo indescritível, mesmo assim sentia que faltava algo em mim, faltava ela, faltava a gargalhada da nossa pequena Valente, e depois de anos pensando que ela não chegaria o Senhor nos presenteou infinitamente mais do que poderíamos imaginar. Por isso, falo que a Valentina é nossa gotinha de amor, nosso pedacinho de céu.
Mas chega de falar e vamos as fotos desse dia que foi incrível e cheio de fortes emoções. Já adianto que as cenas a seguir pode causar excesso de fofurice aguda.

Fotografia: Samy Bispo
Cenário: Mamãe que fez tudo

E aí gostaram?

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

TEXTO | DNA

Eu me esforcei. Juro a você e a quem me desafiar a beijar ambos pés se eu estiver mentindo. Eu me esforcei por muito tempo, eu fiz de tudo pra ser uma boa pessoa, uma boa filha, dei sangue e suor para segurar as pilastras do castelo. Eu sorri, obedeci, segui todas as regras e cuidei cautelosamente para não magoar a você. Mesmo sabendo que cada palavra sua me causasse uma nova facada, eu ainda estava ao seu lado. Mesmo que, eu sentasse na janela às 3:00 da madrugada, já me sentindo mal por sair das regras sobre não dormir tarde, e transbordasse até precisar beber litros e litros de água para não acabar desidratando, quando tudo oque eu busco é apenas ter uma amiga. É só isso, não precisa ser mãe e sorrir o tempo todo, nem usar um vestido de margaridas e um avental rosa, apenas preciso que seja minha amiga. Uma daquelas que a gente pode contar tudo, aquela que entende cada momento, aquela que diz " bem feito " a cada burrada, mas que depois me oferece seu colo. Uma daquelas amigas que nos faz melhor, que sabe sempre quando nada está bem. Tudo oque eu estava esperando no fim desse túnel idiota, era uma amiga. Eu andei na linha, porque acreditava profundamente que valeria a pena, até me cansar. Até eu me cansar de esperar o grande dia em que eu possa ser não só sua filha, mas seu diário, ou ao menos que, você não seja só minha mãe, mas meu diário, o dia em que você se visse, como eu vejo.

Eu cansei e aos poucos as regras foram ficando inúteis, porque não importa o tamanho do meu esforço, eu nunca fui o suficiente. E sem perceber, eu estava indo mal na escola, tinha umas amigas que você nem sabia o nome, saí pra me divertir, até que eu conheci o mundo, e pode acreditar, a adrenalina dele era muito mais incrível do que as suas regras idiotas, o mundo me reconhecia. Eu vi lugares incríveis, eu amei alguém, e por mais incrível que pareça, esse alguém me amou na mesma intensidade que eu, no caso, uma intensidade que é incapaz de saber o quanto, porque vive aumentando.

Só estou tão assustada. Enfrentando problemas que cheguei a acreditar que nunca me depararia, eu estou transbordando e enlouquecendo, toda essa idiotice de vida não para de me jogar no chão e pisar cada vez mais em cima de mim, sem dó. Um coração partido, amigos desleais, pessoas amarguradas, sociedade hipócrita. Aonde o amor é só uma camuflagem barata, pra interesses por dinheiro, fama, vingança, dor. Um lugar aonde você jamais deverá confiar em ninguém.

Eu estou tão cansada, me desculpe pela noite passada minha não amiga, eu acabei te machucando feio com algumas palavras que vomitei. Eu vou juntar todos os meus pedacinhos e eu vou deixar tudo em paz, eu encontrei alguém que está disposto a me ouvir contar sobre o meu dia ou me abraçar quando o mundo me mostrar o seu lado não tão bonzinho assim. Eu só preciso dizer que, eu nunca serei como você, mas eu ainda estarei aqui quando você precisar de um colo. Eu ainda estarei aqui quando você precisar contar nem que seja para as paredes de como o seu trabalho é cansativo, eu ainda estarei aqui quando estiver disposta a fazer aquelas dietas malucas e eu ainda estarei aqui pra te ajudar a combinar o seu vestido com o sapato. Eu ainda estarei aqui. Porque querendo ou não, mesmo tão diferentes, você e eu somos uma no DNA.

ME SIGA NAS REDES SOCIAIS

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

LEMBREI DE NÓS


Tava aqui matutando quando foi que você virou meu grande amor, coisa difícil essa né. Cê sabe que sou muito ligada a datas, talvez essa minha obsessão seja para compensar a sua completa confusão com os números, o engraçado é que sou de humanas e você de exatas.
Fiquei pensando se teve algum acontecimento marcante que me fez ter a certeza de que era você e não aquele outro ou então o próximo. Acontece que não encontrei nada, mas me lembrei de algumas coisas que talvez tenha sido a soma de todas elas que te transformaram nesse cara que posso viver sem, mas escolhi viver junto.

Lembrei da primeira vez que ficamos? Da baita confusão se rolava beijo na boca, na mão, abraço ou apenas um "oi". E de como segurou minhas mãos tão forte que pude até sentir sua pulsação.
Lembrei de nós dois na fila do cinema e meu sorriso sem jeito te contando coisas sobre essa pessoa que ainda nem sabia ao certo quem era, na verdade só me descobri depois que você chegou.
Consegue lembrar da sensação do primeiro beijo? Eu lembro. Não vi estrelas, meus pés não levantaram, não ouvi pássaros cantando e nem apareceu coraçãozinhos em volta de nós, mas seu beijo era suave, um tanto desajeitado o nosso encaixe e mesmo assim foi bom, foi mais que bom.

Fiquei pensando que se o céu fosse por boas ações o teu lugar já estava mais que garantido, porque só uma pessoa cheia de luz para aguentar aquela pessoa que eu era no comecinho. Tão mimada, enjoada, de cara emburrada, de mal com a vida. 
Lembrei do dia que me comprou um cd da melhor banda que já existiu só para ver meu sorriso desabrochar, ainda fico feliz quando penso nesse dia. Teus olhos me observando entre a mesinha da mini cafeteria do shopping, sorrindo porque tinha conseguido me fazer esquecer que a vida aquela época andava uma merda e eu só fazia piorar.
E teve aquele outro dia que tentou me fazer uma mega surpresa me levando a um lugar novo crente que amaria, mas para variar odiei. Nesse dia apesar de não demonstrar uma pontinha de medo bateu lá no fundo do coração de você desistir de tentar salvar nossa embarcação. Mas você sempre foi você, percebi que sua vontade era gritar comigo até todo peso que te jogava nas costas saírem, mas tu segurou minha mão, e eu soltei meu coração.

Esses dias li um texto que falava sobre amor verdadeiro e foi impossível não me sentir tão cheia de você, tão cheia de nós. Tu me transbordou cara. Tirou todas as armadilhas que construí e nos fez casa. 
Gosto quando estou no meio do caos cotidiano e sou surpreendida com seus olhos me observando, com a mesma leveza  e encanto daquele dia na cafeteria. Cê tem noção do tanto que tem de você aqui dentro?
Parei pra pensar em nós e resolvi deixar registrado aqui só pra variar o quanto te amo. É isso.

domingo, 27 de agosto de 2017

SAUDADE...


Hoje bateu saudade de você, sei lá, foi meio de repente, numa hora qualquer do trabalho, bateu saudade do seu sorriso, do seu olhar que me encara diferente, deu saudade de quando sobrava história e não tinha espaço pra ir... hoje deu muita saudade.

Hoje eu  não queria o saudosismo, não era parte do meu plano, mas nem plano eu tinha, foi um acaso e estou aqui, cabeça encostada no parapeito da janela fechada observando o céu escurecer.
Hoje deu saudade, daquela que faz o peito apanhar, sangrar sem curativo que salve, deu saudade da mágica que era cada momento contigo e do excesso de dramaticidade que você fazia questão de carregar, doeu mais do que eu previa.

Hoje foi estranho, uma divisão meio inexata de sentimentos, mais pra lá do que pra cá, e eu fiquei bem no meio do furacão, tentando me manter em equilíbrio quando tava tudo balançando quase caindo no chão.

Hoje eu não queria a saudade, mas a danada deu um jeito de se infiltrar, veio de paraquedas porque queria se aconchegar num espacinho quente e solícito, eu devo ter parecido um outdoor a vista dela, tão sentimental e caricata, o refém perfeito, eu sei, mas não queria ser eu.
Hoje bateu saudade da cor do céu que parecia tão diferente quando tinha nós e da suavidade das nuvens que faziam desenhos abstratos e a gente tentava decifrar, eu decifrava mais você e nem sei se cheguei um dia a te conhecer de fato. Hoje foi saudade, amanhã talvez nem seja mais...