20 junho 2016

CARTA PARA QUEM JÁ ME FEZ SOFRER

Aprendi muito com você, aprendi com as coisas boas e muitas outras com as ruins. Aprendi há não fazer jogo e sim fazer amor...
Aprendi que nessa vida estamos sujeitos a sofrer e que as maiores dores são causadas por aqueles a quem oferecemos o nosso te amo. Foi difícil aprender isso com você.

Passei longas madrugadas acordada sufocada com a cara dentro do travesseiro para abafar o choro que diferente de você se recusava ir embora.Vi minha alegria sumir, meu sorriso desaparecer, a esperança, o amor próprio, mas o amor que sentia por você ficou atracado no meu peito.
Naquele dia que você foi um covarde e me deixou ali parada do outro lado do portão com a dor de ter tido o peito aberto e o coração dilacerado eu te odiei e odiei durante muitos dias,semanas, meses, estações. Odiei lembrar de que você já havia me feito muito feliz e de repente nem bom dia me dava mais, te odiei por ter sido criança, por ter brincado de amor e depois enjoado. Por não ter sido leal, por ter me traído e não ter doido em você.
Com você aprendi a me  isolar, a rejeitar a imagem que via no espelho, a não sair para rir com amigos, a não entender a ordem das estações, a chorar com aquela canção. A ficar parada no tempo remoendo um amor que foi mesquinho.

E um dia quando meus pés e uma amiga me levaram em lugar onde eu não queria ele me encontrou, e diferente de você não teve medo de se lançar dentro dos meus olhos verdes amedrontados que ele insiste em dizer que é azul.
Ele me viu no invisível, se aproximou e pediu meu telefone, anotou meu Orkut e no outro dia não fez joguinhos, disse que iria ligar e ligou, me mandou um scrap pra dizer que me achou linda. Me convidou para o cinema e pegou na minha mão, perguntou sobre minha vida, das coisas que eu gostava, amou a cor do meu cabelo e o jeito que sorria e da covinha que aparecia no meu canto esquerdo.

Ele não disse que me amava, demonstrou com gestos durante seis meses e então depois colocou as palavras em ação junto com um anel de noivado no meu dedo. 
Ele não teve medo de amar, de não aguentar minhas crises de TPM, de me ver chorar descontrolada, ele me segurou na noite em que meu pai morreu porque a única coisa que queria era cair. Ele não teve medo se meu corpo mudaria depois dos filhos, não teve medo de estar perdendo a oportunidade de conhecer garotas mais bonitas.

Ele se jogou e só pediu uma única coisa: se joga comigo também?
E possa te contar um segredo? Com ele eu nunca tive medo.
E todo dia que eu acordo e a primeira coisa que vejo é ele com um sorriso bobo me olhando deixa a sensação de que preciso fazer ele ainda mais feliz. Sou grata porque um dia tive um amor mesquinho bem inho daqueles que não suporta os ventos do outono, que teve medo, que foi fraco, covarde, que foi traiçoeiro e que me ensinou a jamais ser assim.
Se um dia você ler ir isso (e sei que vai), saiba que não tenho magoa nem rancor, e que desejo que assim como eu hoje você tenha alguém que te faça sentir vivo em cada pedacinho do seu corpo.
Poderia te agradecer por um dia ter me dado um pé na bunda, mas quem merece é aquele moço que me viu quando ainda era invisível.
Esse texto começou sendo pra você, mas agora acabou terminando sendo do moço porque diferente de você ele me  deu um começo que não contem um fim.

Daqueles rabiscos que a gente encontra nos cadernos. 

15 junho 2016

RESENHA | VOCÊ SE LEMBRA DE MIM?

Sinopse: Alana é uma mulher independente que não acredita no amor e tem na profissão sua única razão de viver. Jornalista freelancer, é enviada a Nova York para escrever uma reportagem sobre a metrópole, onde conhece o atraente Joel Parker. Quando ela descobre que aquele homem bonito e sedutor que tem lhe feito companhia nos últimos dias é um militar, como seu pai – uma lembrança que ainda a assombra –, a jornalista desaparece sem deixar vestígios. Apesar de resoluta em sua vontade de se afastar do capitão da Marinha americana para não repetir a história de sofrimento de sua mãe, ela não conseguirá aplacar o desejo de seu coração por Parker. Quem vencerá essa disputa entre razão e emoção? O passado de sua mãe irá assombrá-la ainda mais ou irá ajudá-la a esclarecer muitas questões mal resolvidas?
Autor: Megan Maxwell                 Edição: 2016
Editora: Planeta                           Páginas: 496
Gênero: Romance                       Nota: 5/5 Estrelas
Os correios esse mês tem sido bem generosos com minhas entregas, e no comecinho das minhas mini férias em junho chegou o livro que escolhi em parceria com a Editora Planeta. Quando o escolhi não tinha ideia alguma do que se tratava a história, ás vezes gosto de me surpreender com a história, e foi exatamente isso o que aconteceu.

Em Você Se Lembra De Mim? conhecemos a história da mãe da autora misturada com alguns pontos de ficção. A história começa em 1960 e segue até o ano de 2000, no começo a leitura é um pouco chatinha e até posso dizer que fiquei cansada em alguns momentos, mas isso acaba rápido, por isso peço que ser for ler ou estiver lendo e também sentiu isso tenha um pouco de paciência porque a história realmente merece uma chance.

O livro é divido em duas histórias, sendo a primeira a da mãe da autora. Uma história de amor e complicações entre Carmem e um cabo americano chamado Tedy. Um romance que começa na década de 60 e nos conta as dificuldades de uma paixão real.
Carmem é espanhola e como tal tem o sangue quente, ela não tem papas na língua e sua coragem é maravilhosa. Tedy também me conquistou fácil e a loucura que me fez sentir com sua paixão por Carmem foi incrível.

A segunda história é sobre Alana (história fictícia que seria sobre a autora)  uma protagonista forte e cheia de ideais, mas que não acredita no amor e nem que possa um dia se apaixonar e ser correspondida por alguém, o trauma que sente por causa da história triste de sua mãe a deixa fechada para qualquer pessoa que queira se aproximar e consequentemente machuca-la. 
Mas como a vida ama nos pregar as famosas peça em uma noite em um bar qualquer Alana cruza olhares com o lindo Joel um rapaz com belo porte e um sorriso que a moça não pode resistir, bastou uma pequena conversa e algumas bebidas para os dois queimarem em paixão.

Mas como novamente repito a vida gosta de pregar suas peças Alana descobre que sua efêmera paixão é um fuzileiro e isso faz todos os ossos da moça doerem e o repudiarem na mesma hora, isso por causa da história de sua mãe. É da aí que a história começa fazer mais sentido e você se prende de uma maneira tão leve e doce. 
Outro ponto que gostei foi que no fim do livro tem fotos da autora com sua mãe.

Fiquei muito feliz por ter o privilégio de conhecer essas histórias tão bem entrelaçadas, delicadas e verdadeiras, é muito fácil se identificar com algumas situações descritas no livro. A diagramação também está perfeita e apesar de não ser fã de livros com pessoas na capa essa com certeza me conquistou.

E aí já leu? O que achou, me conta.

13 junho 2016

PLAYLIST COM MINHAS NACIONAIS

Já disse em vários posts o quanto sou apaixonada por músicas nacionais. Gosto das melodias gringas, mas amo tanto o nosso sotaque, a musicalidade que só a música brasileira tem. É algo que me fascina.
Tenho algumas bandas, cantores e letras da vida, aquelas que não importa a fase que me encontro sempre iram mexer com esse coração que é todo feito de manteiga. Por outro lado gosto de conhecer essa galera nova que vem surgindo. Com isso resolvi fazer uma play das que mais gosto com o combo daquelas que mais tenho ouvido no momento.
Acho que não tem coisa melhor poder pegar minha caneta preferida meu caderno floral e rabiscar pensamentos ao som de uma boa música brasileira, daquelas que te fazem lembrar até o cheiro da pessoa que passou por você naquele dia de corria a tantos anos atrás. Ou simplesmente poder me aconchegar nos braços do meu moço enquanto escuto outra pessoa cantarolar o que meus olhos vive dizendo para ele.
Sei que não é todo mundo que gosta das brasileiras e sempre rola aquele preconceito básico. O problema é que talvez não esteja ouvindo as coisas certas. Assim como tem músicas gringas que com o perdão da palavra são uma bosta, também ha nacionais que não deveriam nem tocar em público, mas enfim essas são algumas das que fazem meu coração transbordar, espero de verdade que tenham gostado.
E vocês tem alguma nacional preferida? Deixa aqui nos comentários que eu prometo ouvir. 

12 junho 2016

O QUE TEMOS É SÓ NOSSO


A gente nunca sabe o que a vida nos reserva a uns passos a frente, no nosso caso a uns quilômetros. Uma noite, alguns amigos, fanta uva, espetinho de morango, alguns clicks "escondidos", pessoas querendo ir embora outras querendo ficar, uma blusa preta com gola branca, um boné rosa e cinto de rebite. Coloque tudo isso em um livro e aí está o dia em que nos conhecemos.
Eu não esperava muito do nosso encontro, na verdade não esperava nem o segundo, imagina a minha surpresa quando um mês passou voando e eu já era íntima da sua família e você nem perto do portão da minha casa eu deixava chegar.
Eu tinha medo moço. Medo de me entregar de novo, de deixar alguém tocar aquilo que havia aprendido a proteger tão bem. Toda vez que pedia para ter paciência era meu medo gritando para você não desistir depois do beijo de até amanhã, era medo quando eu dormia no telefone escutando sua voz, era medo de você cansar da brincadeira desliga você primeiro, toda vez que eu dizia uma voz lá no fundo do peito suplicava para você nunca me desligar da sua vida.
Quando disse que não daríamos certo, era só o monstro da rejeição pedindo para você lutar.
Mas quando em uma noite cheia de estrelas você segurou minhas mãos e prometeu que era presente todo medo foi embora. Toda dor, mágoa e insegurança de se entregar foram dissipadas quando ouvi teu coração bater acelerado.
Tem gente que chama o que temos de sorte, mas nós dois sabemos que nada do que vivemos até hoje poderia ser jogado nos braços da sorte, amor é estar disposto, é renunciar mesmo quando se sabe que está certo, é acreditar no outro mesmo quando ele mesmo não consegue, é perdoar mesmo quando se tem vontade de dizer não. É construir uma família porque amor de verdade se multiplica.
O que temos é só nosso, o que temos é melhor.
Uma década me aninhando no seu afago. Feliz dia dos namorados moço.

10 junho 2016

TE CONTO TALENTO | PALOMA BARBOSA


E chegamos ao nosso segundo Te Conto Talento, minha ideia é fazer um a cada quinze dias, mas se vocês acharem pouco podemos fazer um por semana, não esqueçam de deixar nos comentários a sua opinião tá bem, então tá bem?!
Hoje quero que vocês conheçam a delicadeza e leveza das mãos da Paloma Barbosa. Nos conhecemos através do blog que ela tem com sua amiga o Sure, We Have a Blog e assim conheci os trabalhos lindo com tinta que a Paloma faz.
Ela tem um jeito todo especial de expressar coisas simples, sabe aquela coisa de fazer você sentir? Quando vejo as ilustrações da Paloma eu consigo senti-las, vive-las. A cada nova ilustração que ela compartilha no seu instagram consigo sentir algo novo e isso vai além de talento, isso é dom.

Assim que iniciamos o projeto a Paloma entrou em contato comigo e perguntou se poderia me enviar alguns mimos e claro aceitei até porque eu não seria boba de dizer não, mas o que eu não sabia é que os correios entregavam amor em forma de pacotes, sério pessoas. Até hoje não consigo explicar o quanto amei tudo que ela me enviou, já agradeci várias vezes, mas ainda acho que é pouco.
Tudo veio muito embrulhadinho, consegui sentir o cuidado e carinho até no pacote, mas quando abri e vi o tanto de amor que tinha dentro aí meu coração não resistiu, minha vontade era de correr na casa da Paloma e abraca-la.
Claro que todos os mimos que ela me enviou foram especiais, mas o quadrinho que ela pintou para nossa Valentina esse foi o melhor dos melhores presentes que já recebemos, sabe aquela frase "Quem meu filho agrada, minha boca adoça...", quando vi o quadro que a Paloma pintou para Valentina meu coração se derreteu feito manteiga, foi muito amor envolvido.

No outro post pedi para que o Léo falasse um pouco dele, da mesma forma pedi que a linda da Paloma falasse sobre ela, dessa forma acredito que a gente cria uma proximidade a mais da pessoa.



Olá, me chamo Paloma tenho 22 anos, estudo artes visuais, sou de sagitário com ascendente em peixes haha. O desenho em si, nunca foi uma coisa que eu levasse a sério ou fosse encorajada a fazer, pelo contrário, fui muito desencorajada até por mim mesma. Cheguei a fazer um curso de comunicação Visual e fui lá que desenvolvi um pouco de várias das minhas habilidades artísticas: Desenho, Pintura, Design... E mesmo assim, eu sempre tive a sensação de que não era boa o suficiente. Foi só depois de um tempo que eu comecei a dar valor no que fazia, e pensei: "Caramba, eu posso ser boa nisso, de verdade". Então entrei na faculdade de artes e aqui estou: mostrando finalmente minha arte pro mundo, e levando a sério minhas ilustrações. Foi um caminhozinho longo haha.

Viram o que falei no outro post? Ás vezes nós mesmos não acreditamos no nosso potencial, ainda bem que a Paloma abriu os olhos e percebeu o quanto talento tem em suas mãos literalmente falando rs.
Nas últimas fotos que ela postou em seu instagram vi que novas ideias estão surgindo por aí, e estou aqui para dizer que super apoio. E não é somente pelos mimos que recebi que estou aqui indicando a Paloma, na verdade jamais esse seria um dos motivos, ela está aqui porque merece, porque sua arte é linda e merece estar enfeitando paredes, comodas, pescoços e onde mais a imaginação dela chegar.

Bom agora que já leram e conheceram um pouco mais sobre essa linda, que tal entrar em suas redes sociais para conhecer os outros trabalhos dela e ainda bater um papo?